avós e netos

A relação entre avós e netos costuma ter como base muito amor, carinho e mimos, geralmente, crianças e adolescentes que vivenciam esse tipo de experiência familiar carregam consigo boas lembranças e um sentimento de gratidão por toda a vida.

A configuração da proximidade dos avós com os netos pode apresentar variadas formas. 

Em algumas famílias, eles apenas cuidam das crianças enquanto os pais trabalham, em outras, residem no mesmo lar ou só são visitados aos finais de semana.

Independentemente do grau de ligação, os pequenos são beneficiados com estabilidade emocional, uma visão ampla sobre a vida, uma autoestima fortalecida, maior segurança, além do acesso às histórias relacionadas ao passado e ancestralidade da família.  

Embora exista o conceito de que, por tanto mimar os netos, os avós acabam estragando a sua educação, a presença deles é fundamental no desenvolvimento e criação das crianças e adolescentes, que adquirem muitas experiências positivas e conhecimentos.

Além de apresentar vantagens para os netos, os mais velhos conseguem conquistar um nível maior de bem-estar. 

De acordo com um estudo realizado pelo PubMed, pessoas mais velhas têm até mesmo a sua saúde preservada ao cuidar dos menores.

O artigo aponta que avós que cuidam dos seus netos, automaticamente, reduzem as suas propensões ao Alzheimer e outras doenças cognitivas. Além disso, a sensação de significado e utilidade pode ser diariamente fortalecida pelo convívio diário.

Os pais também são beneficiados por essa proximidade dos avós com os seus filhos. 

Receber ajuda de pessoas tão próximas e aliviar o dia a dia estressante acaba sendo reconfortante para os que precisam conciliar a vida pessoal com a vida profissional.

Diante de tantos pontos positivos, é fundamental fortalecer e incentivar ainda mais essa relação, a fim de reforçar os laços e criar um nível de afeto ainda maior entre todos da família. 

Para isso, é possível explorar diferentes alternativas, como as listadas a seguir:

  • Contar histórias;
  • Rever fotografias;
  • Brincar juntos;
  • Cultivar uma horta;
  • Cozinhar algum prato;
  • Viajar em família.

Colocando ao menos uma dessas dicas em prática, é possível criar memórias afetivas importantes para todos os familiares. 

Entretanto, há alguns pontos que merecem ser destacados e alertados aos avós que costumam conviver muito com os seus netos.

É fundamental que, durante o convívio, a autoridade dos responsáveis pelas crianças e adolescentes seja respeitada. A missão de criá-los pertence aos pais, portanto, saber diferenciar esses dois papéis é uma das premissas básicas para a harmonia familiar.

Uma educação muito mais sólida e equilibrada é proporcionada quando esses dois pilares genealógicos se unem em prol de proporcionar conhecimento, boas experiências, afeto e lembranças importantes.

Mas, afinal, quais são os benefícios dessa relação?

Os pais devem incentivar a proximidade dos netos com os avós, pois é por meio dela que grande parte do caráter dos pequenos é formada. Os mais velhos ensinam, aconselham, orientam e direcionam caminhos errados aos rumos certos.

Estudos apontam que crianças que convivem com os pais dos pais tendem a se tornar um ser humano mais bondoso e generoso. 

Além disso, muitos outros benefícios podem ser conquistados com essa relação, entre eles, os mencionados a seguir:

  1. Aprendizagem mútua

Não somente os netos que aprendem neste convívio, os avós também acabam aprendendo coisas novas sobre o universo e até mesmo sobre a vida. Crianças têm muito a ensinar e isso pode proporcionar uma ótima aprendizagem mútua.

Principalmente, quando se trata de tecnologia, como manusear um computador, celular, ou uma persiana motorizada interna, a geração mais nova consegue ter um discernimento maior e ensinar os responsáveis mais velhos de como fazê-lo.

Além disso, muitos ensinamentos sábios sobre a vida costumam ser repassados aos netos, durante essa convivência. 

Nesses e em outros pequenos detalhes do dia a dia, há uma troca de conhecimento importante para a vida das duas partes.

  1. Maior apoio emocional

Lidar com as transformações periódicas do crescimento, tanto físico, quanto mental, é algo complicado para crianças, principalmente para os adolescentes que estão em uma fase de transição para se tornarem adultos, mesmo com pouca idade.

Tudo isso causa uma confusão de sentimentos e, ter os avós por perto nesse momento, é fundamental para proporcionar apoio emocional. 

Desde as mínimas ações, como uma ducha inox piscina ou cozinhar juntos já proporcionam um equilíbrio para as emoções.

O fato de os avós já terem vivido longos anos e terem passado pela mesma situação, e ainda terem visto os pais dos adolescentes passarem pelo mesmo, automaticamente, transmite credibilidade e tranquilidade neste período de mudança geral.

  1. Menor risco de doenças

A geração mais jovem costuma trazer alegria ao lar e à vida dos mais velhos. Além disso, estar em constante movimento, proporciona aos avós de idade mais avançada um exercício maior do cérebro, o que pode diminuir a chance de doenças específicas.

Assistir a um filme, cultivar uma horta, cozinhar ou dançar em uma pista de dança iluminada contribui para o fortalecimento da saúde física e mental dos avós, aumentando o bem-estar, mesmo em meio aos sintomas da faixa etária mais avançada.

Como já mencionado neste artigo, estudiosos apontam que avós que convivem mais com os netos têm risco reduzido de sofrer com distúrbios cognitivos e a perda total de memória, que ocorre devido à temida doença chamada mal de Alzheimer.

  1. Cultivo da afetividade

Quem nunca sentiu um cheirinho de bolo ou de feijão cozido e automaticamente lembrou da comida da avó ou na vida adulta, ao dirigir, se lembrou de todos os passeios de carro que fazia com o avô. Tudo isso se deve ao cultivo da afetividade.

Durante todos os anos de convívio entre netos e avós, o afeto é cultivado e demonstrado por meio de diversos atos e situações, desde os mencionados anteriormente, até os diversos mimos e presentes inesperados, como um jogo favorito ou brindes acrílico.

Além dessas atitudes, o afeto pode se apresentar de outras formas, como no apoio que os avós mostram em momentos difíceis da vida dos netos. 

Isso será capaz de aliviar o presente e transformar o futuro, gerando ótimas lembranças a respeito dessa relação.

  1. Diminuição do sedentarismo

Não é somente o cérebro dos mais velhos que é exercitado durante o convívio com os mais novos. O corpo também acaba se mexendo mais e saindo da zona de conforto, mais conhecida como sedentarismo, que pode trazer sérias consequências à saúde.

Deixar a preguiça de lado e começar a se movimentar não é sinônimo de medicina esportiva e treinamento atlético, mas com certeza renderá bons frutos ao corpo, evitando o atrofiamento de músculos, ossos e combatendo o sobrepeso dos avós.

Crianças exigem energia, brincar, arrumar a bagunça, levá-las até a escola, limpar a casa, levá-las ao parque. Essas pequenas movimentações em uma rotina que antes se baseava somente em assistir televisão deitados no sofá são muito vantajosas.

  1. Alívio da rotina dos pais

A rotina dos pais, principalmente, dos que têm crianças pequenas, costuma ser muito corrida. Conciliar o trabalho, o papel materno e paterno, as obrigações domésticas e ainda, em alguns casos, a vida acadêmica, é algo difícil e cansativo.

Saber que pode contar com os avós para ajudá-los nessa missão de cuidados e de compromissos, como as consultas médicas, acupuntura auricular autismo, entre outros tratamentos, traz alívio e retira toda a sobrecarga do acúmulo de obrigações.

Todos acabam sendo beneficiados com essa proximidade e apoio. Os netos, por terem apoio dos dois lados. Os pais, por se sentirem acolhidos em meio às dificuldades, e os avós, por terem novas atividades e poderem ajudar as duas gerações de sua família.

  1. Maior proteção e cumplicidade

Ter alguém sempre por perto certamente fará com que os netos, especialmente os mais novos, se sintam protegidos, assim como as pedras ornamentais são protegidas por abrasivos para polimento de granito.

Além disso, para os adolescentes, saber que têm alguém para quem contar os seus conflitos e esclarecer todas as suas dúvidas, de forma amigável, proporciona a eles a sensação de cumplicidade duplicada, por terem os seus pais e os seus avós.

  1. Problemas comportamentais atenuados

De acordo com um estudo do Departamento de Política Social e Trabalho Social da Universidade de Oxford, que envolveu mais de 1500 crianças do Reino Unido, a proximidade dos após atenua dificuldades e conflitos familiares.

Isso pode ser feito de diversas maneiras, com uma conversa, em um pet shop para comprar cachorro, cozinhando, ou mesmo assistindo a um filme. O importante é que os mais velhos estejam sempre por perto dos mais novos, em especial, os adolescentes.

Considerações finais

Sendo assim, não há nada melhor do que conviver com os avós. Além de aprender, pessoas que têm esse tipo de relação familiar acabam desenvolvendo e criando belas memórias afetivas, que carregarão consigo a vida toda.

Os avós são capazes de despertar o que há de melhor nos netos, por isso, tê-los por perto é garantir um presente tranquilo e com muito amor, que será repassado de geração em geração.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Categories:

Tags:

No responses yet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(62) 3261-6638